imagem alusiva a epidemiologia    

Data: 11 e 12 de março de 2020
Duração: 2 dias (14 horas)
Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
Preço da inscrição: €150
Data limite de inscrição: 28 de fevereiro de 2020
Código: 2020DEP0212
Coordenação: Mariana Neto
Nº mínimo e máximo de formandos: 10 e 15

Sumário
As novas formas de colheita de dados, devido ao refinamento das tecnologias informáticas, têm facilitado a realização de estudos observacionais longitudinais onde os dados são colhidos em vários momentos de observação. Porém, este tipo de estudos envolve dificuldades relacionadas com o desenho e análise pois, com frequência, envolve medidas repetidas nos mesmos indivíduos e variáveis ao longo do tempo. O curso visa familiarizar os participantes com os principais desenhos de estudos longitudinais com medidas repetidas, os passos envolvidos e as condicionantes e limitações das análises estatísticas convencionais. Apresentam-se as formas de preparação de dados mais comuns e os métodos de análise mais frequentemente utilizados, sendo dado relevo aos vários tipos de causalidade envolvida. A componente teórico-prática envolve a análise crítica de dois artigos científicos com diferentes formas de análise (modelos de estimação de equações generalizadas, modelos autoregressivos e curvas de crescimento latente). Não são necessários conhecimentos aprofundados de estatística, mas é desejável que os participantes estejam familiarizados com análises de regressão linear.

Consulte o programa  |  Inscrição

Data: 16-17 março (1ª edição 2020) |  23-24 setembro (2ªed. 2020) 
Duração: 2 dias (14h) cada edição
Edição especial ARS:
24-25 de março de 2020

Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
Preço da inscrição: 150€ 
Data limite de inscrição:  06 de março (1ª edição 2020)  |  11 de setembro  (2ªed 2020)  |  13 de março de 2020 (ed. especial ARS)
Código: 2020DEP0414  |  2020DEP0115  |  2020DEP0616
Coordenação: Ricardo Mexia e Cristina Furtado
Nº mínimo e máximo de formandos: 8 e 15

Sumário
A investigação de surtos é fundamental para a implementação de medidas de controlo e prevenção. As ferramentas que permitem essa investigação de forma rápida e efetiva estão hoje ao dispor de todos os níveis profissionais. Neste contexto, o Instituto Ricardo Jorge estruturou um curso de epidemiologia de campo sobre investigação de surtos, especialmente destinado a profissionais de saúde e a todos aqueles com especial interesse na temática. O curso apresenta uma forte componente prática com a simulação da investigação de um surto.

Em 2020, o INSA realiza também uma edição especial deste curso exclusivamente para médicos do internato médico em Saúde Pública e no âmbito dos protocolos de colaboração celebrados entre o INSA e as ARS de LVT, Alentejo e Algarve.

Consulte o programa |  Inscrição (23-24 setembro)  

Data: (2021)
Duração: 14 horas
Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge, em Lisboa
Preço da inscrição: 150€
Data limite de inscrição: (2021)
Código: 2020DEP1121
Formadores: Ana Paula Rodrigues e Ausenda Machado
Nº mínimo e máximo de formandos: 6 e 15

Sumário
O protocolo é um instrumento fundamental à condução de estudos de investigação epidemiológica. Este curso tem como finalidade de promover competências de planeamento e desenho de protocolos de investigação epidemiológica, em particular, no âmbito dos estudos observacionais. Aposta numa forte componente prática e é especialmente dedicado a profissionais de saúde.

Consulte o programa (disponível em breve) |  Pré-inscrição  

Data: 17 e 18 de novembro de 2020
Duração: 2 dias (14 horas)
Local: nas instalações do Instituto Ricardo Jorge
Preço de inscrição: €150
Data limite de inscrição: 06 de novembro de 2020
Código: 2020DEP0919
Formadores: Ricardo Mexia e outros (a confirmar)
Coordenação: Ricardo Mexia
Nº mínimo e máximo de formandos: 8 e 15

Sumário
Eventos de massas ou multidões (mass gatherings) reúnem mais do que um determinado número de pessoas num local específico para uma dada finalidade e por um período definido de tempo. Nestes contextos, os riscos para a saúde são potenciados pela concentração elevada de participantes oriundos de diferentes regiões ou países e pelo aumento do número de contactos interpessoais. Estas situações podem, ainda, implicar estruturas temporárias, nomeadamente de restauração, sanitários e alojamentos que podem contribuir para um maior risco de doenças transmissíveis e, quando associadas a consumos de álcool ou outras substâncias psicoativas, propiciarem comportamentos de risco. Portugal é um país particularmente vocacionado para grandes ajuntamentos de pessoas, devido ao seu clima, ao peso do turismo e também à sua cultura.

Neste contexto, o Instituto Ricardo Jorge oferece um novo workshop de epidemiologia de campo vocacionado para eventos de massas, especialmente destinado a profissionais de saúde, produtores/organizadores de eventos  e a todos aqueles com especial interesse na temática. O curso possui uma forte componente prática, com exemplos concretos de eventos, e simulação de uma ocorrência num evento. Inclui avaliação final das aprendizagens.

Consulte o programa  (brevemente disponível)  |  Inscrição