Nesta área poderá conhecer as inciativas de formação organizadas pelo Centro de Estudos de Vetores e Doenças Infecciosas (CEVDI) do INSA. Saiba mais sobre o trabalho do  CEDVI...

TODAS AS INICIATIVAS PREVISTAS ATÉ JULHO FORAM ADIADAS PARA O 2º SEMESTRE DE 2020, EM DATAS A DEFINIR OPORTUNAMENTE.

 

Data: 26 e 27 de maio de 2022
Duração e horário: 3 horas, 10h-13h, no 1º dia  |  6 horas, 10h-17h, no 2º dia
Regime de funcionamento:  misto, com sessão online, síncrona com MS Teams (1º dia), e presencial no CEVDI, em Águas de Moura (2º dia).
Inscriçãogratuita, embora sujeita a registo prévio, exclusivamente para técnicos das ARS e DRS e outros participantes do programa Revive.
Nº máximo de participantes: 20
Data limite de inscrição: 20 de maio de 2022
Coordenação: Maria João Alves

Sumário
A ação de formação "REVIVE-Mosquitos"  visa promover nos destinatários competências teóricas e práticas nos domínios da epidemiologia, biologia de vetores, métodos laboratoriais, vigilância, controlo e prevenção das doenças transmitidas por mosquitos. É organizada por especialistas do Centro de Estudos de Vetores de Doenças Infeciosas do INSA, IP e destina-se a técnicos de saúde ambiental das Administrações Regionais de Saúde e a outros interessados. As doenças transmitidas por vetores resultam da transmissão de agentes infeciosos durante a picada de artrópodes hematófagos, como mosquitos e carraças. Os mosquitos são insetos pertencentes à ordem Diptera, conhecidos por picarem e causarem incómodo ao Homem. As doenças transmitidas por mosquitos já constituíram graves problemas de saúde pública na Europa. Doenças como a malária, dengue e febre amarela foram erradicadas da Europa em meados do século XX, continuando, no entanto, a existir em muitas zonas as espécies de mosquitos responsáveis pela transmissão destas patologias. Atualmente, na Europa, são conhecidas encefalites virais transmitidas por mosquitos. A Rede de Vigilância de Vetores (REVIVE) propõe a instalação de capacidades que levem ao conhecimento das espécies de vectores  presentes, e onde, e assim esclarecer o seu papel como vetor de agentes de doença.

Consulte o programa  |  Inscrição

Data: 12 e 13 de maio de 2022
Duração e horário: 3 horas, 10h-13h, no 1º dia  |  6 horas, 10h-17h, no 2º dia
Regime de funcionamento:  misto, com sessão online, síncrona, com MS Teams (1º dia), e presencial no CEVDI, em Águas de Moura (2º dia).
Inscrição: gratuita, embora sujeita a registo prévio, exclusivamente para técnicos das ARS envolvidos no programa Revive. 
Data limite de inscrição: 6 de maio de 2022
Coordenação: Maria João Alves

Sumário
A ação de formação "REVIVE-Carraças" integra-se na Rede de Vigilância de Vetores (REVIVE) e visa promover nos destinatários competências teóricas e práticas nos domínios da epidemiologia, biologia de vetores, métodos laboratoriais, vigilância, controlo e prevenção das doenças transmitidas por carraças. É organizada por especialistas do Centro de Estudos de Vetores de Doenças Infeciosas do Instituto Ricardo Jorge e destina-se a técnicos de saúde ambiental das Administrações Regionais de Saúde e a outros interessados.

Consulte o programa  |  Inscrição 

Data: 19 e 20 de maio de 2022
Duração e horário: 3 horas, 10h-13h, no 1º dia  |  6 horas, 10h-17h, no 2º dia
Regime de funcionamento:  misto, com sessão online, síncrona, com MS Teams (1º dia), e presencial no CEVDI, em Águas de Moura (2º dia).
Data limite de inscrição: 12 de maio de 2022
Inscrição: gratuita, embora sujeita a registo prévio, exclusivamente para técnicos das ARS envolvidas no programa Revive.
N.º máximo de participantes: 20
Coordenação: Maria João Alves

Sumário
Os flebótomos são importantes vetores de protozoários, bactérias e vírus. As patologias mais importantes associadas a flebótomos são a Leishmaníase, distribuída em todo o Mundo, e as encefalites virais em emergência na Europa. A Rede de Vigilância de Vetores (REVIVE) propõe a instalação de capacidades que levem ao conhecimento da distribuição de espécies de flebótomos em Portugal e ao esclarecimento do seu papel de vetor de agentes de doença. As ações de formação "REVIVE-Flebótomos" visam promover nos destinatários competências teóricas e práticas nos domínios da epidemiologia, biologia de vetores, métodos laboratoriais, vigilância, controlo e prevenção das doenças transmitidas por flebótomos.

Consulte o programa