Data: vídeo disponível até 30 de dezembro de 2021
Duração: 16 minutos
Formadora: Ana Rito

Sumário
O estudo de vigilância do estado nutricional infantil Childhood Obesity Surveillance Iniatitive (COSI), da Organização Mundial da Saúde(OMS)/Europa, decorre em Portugal através da coordenação cientifica do Instituto Ricardo Jorge (INSA), na sua qualidade de Centro Colaborativo da OMS para os assuntos de Nutrição e Obesidade Infantil,  em articulação com as várias autoridades da Saúde. O COSI-Portugal visa criar uma rede sistemática de recolha, análise, interpretação e divulgação de informação descritiva sobre as características do estado nutricional infantil de crianças em idade escolar (6 aos 9 anos). O sistema de vigilância produz dados comparáveis entre países da Europa e permite a monitorização da obesidade infantil a cada 3 anos. Decorridas já 5 fases do estudo COSI Portugal (2008, 2010, 2013, 2016 e 2019), a avaliação de crianças de cerca de 200 escolas do 1º ciclo do EB mostrou que a prevalência de baixo peso se manteve entre 2008 (1,0%) e 2019 (1,3%) e um decréscimo consistente de 8,3% na prevalência de excesso de peso ( 37,9% para 29,6% ) e  de obesidade infantil de 15,3% para 12,0%, em 2008 e em 2019, respetivamente.   Acresce que, em Portugal, o COSI tem permitido uma correção de politicas aos níveis nacional, regional e local,  e o desenvolvimento de programas intersectoriais na abordagem da obesidade infantil. Este trabalho, que envolve todas as instituições publicas de saúde, terá certamente contribuído para a tendência invertida da prevalência de excesso de peso e obesidade infantil em todo país, apesar de Portugal ser um dos países europeus com maior prevalência de obesidade na infância. Entretanto,  a pandemia COVID-19, em 2020 e 2021, levou a que  a OMS reforçasse  a continuidade deste sistema europeu de vigilância de obesidade infantil. Agora, mais do que nunca, é necessário avaliar o impacto da pandemia no estado nutricional infantil, pois poderá ter conduzido ao agravamento do excesso de peso e da obesidade na infância, suportado por mudanças no estilo de vida (incluindo práticas alimentares e atividade física) das crianças. Espera-se que, através deste vídeo, os profissionais sejam capazes de conhecer a metodologia harmonizada e recomendada do estudo COSI da OMS e que a possam divulgar e/ou aplicar.

Inscreva-se AQUI para visualizar o vídeo sobre Nutrição, alimentação e obesidade infantil