Data: vídeo disponível até 30 de dezembro de 2021
Duração: 16 minutos
Formadora: Ana Rito

Sumário
O estudo de vigilância do estado nutricional infantil Childhood Obesity Surveillance Iniatitive (COSI), da Organização Mundial da Saúde(OMS)/Europa, decorre em Portugal através da coordenação cientifica do Instituto Ricardo Jorge (INSA), na sua qualidade de Centro Colaborativo da OMS para os assuntos de Nutrição e Obesidade Infantil,  em articulação com as várias autoridades da Saúde. O COSI-Portugal visa criar uma rede sistemática de recolha, análise, interpretação e divulgação de informação descritiva sobre as características do estado nutricional infantil de crianças em idade escolar (6 aos 9 anos). O sistema de vigilância produz dados comparáveis entre países da Europa e permite a monitorização da obesidade infantil a cada 3 anos. Decorridas já 5 fases do estudo COSI Portugal (2008, 2010, 2013, 2016 e 2019), a avaliação de crianças de cerca de 200 escolas do 1º ciclo do EB mostrou que a prevalência de baixo peso se manteve entre 2008 (1,0%) e 2019 (1,3%) e um decréscimo consistente de 8,3% na prevalência de excesso de peso ( 37,9% para 29,6% ) e  de obesidade infantil de 15,3% para 12,0%, em 2008 e em 2019, respetivamente.   Acresce que, em Portugal, o COSI tem permitido uma correção de politicas aos níveis nacional, regional e local,  e o desenvolvimento de programas intersectoriais na abordagem da obesidade infantil. Este trabalho, que envolve todas as instituições publicas de saúde, terá certamente contribuído para a tendência invertida da prevalência de excesso de peso e obesidade infantil em todo país, apesar de Portugal ser um dos países europeus com maior prevalência de obesidade na infância. Entretanto,  a pandemia COVID-19, em 2020 e 2021, levou a que  a OMS reforçasse  a continuidade deste sistema europeu de vigilância de obesidade infantil. Agora, mais do que nunca, é necessário avaliar o impacto da pandemia no estado nutricional infantil, pois poderá ter conduzido ao agravamento do excesso de peso e da obesidade na infância, suportado por mudanças no estilo de vida (incluindo práticas alimentares e atividade física) das crianças. Espera-se que, através deste vídeo, os profissionais sejam capazes de conhecer a metodologia harmonizada e recomendada do estudo COSI da OMS e que a possam divulgar e/ou aplicar.

Inscreva-se AQUI para visualizar o vídeo sobre Nutrição, alimentação e obesidade infantil

Datas: 11 a 24 de novembro de 2021
Duração: 30h (10 sessões x 3h)
Horário: 10h-13h (horas de Lisboa)
Formadores: Rosália Furtado, Conceição Costa Bonito, Cristina Belo Correia e Margarida Saraiva
Coordenação: Cristina Belo Correia

Sumário
O curso irá proporcionar aos participantes uma introdução às diferentes áreas da Microbiologia Alimentar e capacitá-los para executarem e interpretarem os resultados dos ensaios microbiológicos utilizando diferentes metodologias analíticas. Destina-se a responsáveis de laboratório, técnicos de ensaio e gestores da qualidade laboratorial da Guiné-Bissau. 

Consulte o programa 

Datas: 01, 06 e 09 de julho de 2021
Duração total: 9 horas distribuídas por 3 sessões de 3 horas cada.
Horário: 11h-14h (horas de Lisboa)
Formadores: Paulo Fernandes, Andreia Lopes e Roberto Brazão

Sumário
A informação sobre a composição nutricional, características e propriedades dos géneros alimentícios é de extrema importância para diversas áreas de atividade e setores da sociedade: apoia os responsáveis governamentais na tomada de decisão sobre estratégias para a promoção da alimentação saudável; apoia os distribuidores e produtores alimentares na melhoria da disponibilidade e no processo de produção e/ou reformulação da composição dos alimento; possibilita aos consumidores a realização de escolhas e consumos mais conscientes e informados, com potenciais benefícios para a sua saúde. As bases de dados de composição de alimentos - de que é exemplo a Tabela da Composição de Alimentos (TCA), do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge – os perfis nutricionais, a Roda dos alimentos e a Roda da alimentação mediterrânica assim como os rótulos dos alimentos, são instrumentos determinantes ao dispor da sociedade para o conhecimento das características, qualidade nutricional e proporção adequada de consumo diário dos alimentos. Espera-se que, no final das sessões, os formandos sejam capazes de conhecer bases de dados da composição de alimentos, nomeadamente a TCA e as suas funcionalidades, a informação relevante sobre a composição dos géneros alimentícios disponíveis e os perfis nutricionais bem como de identificar os grupos de alimentos e proporções com que cada um destes deve estar presente na alimentação diária e, ainda, reconhecer e descodificar a informação obrigatória contida nos rótulos dos alimentos.

Consulte o programa  |  Inscrição AQUI

Data: 13 de janeiro a 11 de fevereiro de 2021
Duração total: 30 horas distribuídas por 10 sessões de 3 horas cada.
Horário: 10h-13h
Formadores: Carla Motta, Ana C. Nascimento, Cristina Flores, Mariana Santos, Susana Santiago, Tânia Albuquerque.

Sumário
Os métodos analíticos para determinação da composição química dos alimentos correspondem a uma área de estudo necessária para o conhecimento da composição dos alimentos, nomeadamente o tipo de análise que melhor se adequa ao estudo de cada nutriente em diferentes tipos de alimentos. Permite ainda compreender e interpretar os resultados de análises da composição nutricional, compostos protetores, contaminantes, etc., baseados em evidência científica e normas em vigor. Espera-se que, no final do webinar, os formandos sejam capazes de executar e interpretar os resultados dos métodos dos diferentes métodos analíticos expostos.

Consulte o programa  |  Inscrição AQUI